As Pequenas Memórias

As Pequenas Memórias 

Sinopse:

1. As Pequenas Memórias é um livro de recordações que abrange o período entre os quatro e os quinze anos da vida de José Saramago. O autor tinha As Pequenas Memórias na cabeça há mais de 20 anos, por isso a altura para o escrever era esta: “Queria que os leitores soubessem de onde saiu o homem que sou”.

2. Em ‘As pequenas memórias’, José Saramago põe em prática o antigo projeto de compor um relato autobiográfico. São histórias familiares, ora alegres ora dilacerantes, sobre os primeiros quinze anos de vida do escritor. Quando escrevia ‘O memorial do convento’, livro que lhe deu notoriedade mundial, José Saramago começou a pensar num relato autobiográfico. Levou mais de vinte anos elaborando o projeto, cujo resultado são estas Pequenas memórias. O livro cobre os primeiros quinze anos de sua vida, do nascimento, em 1922, na aldeia da Azinhaga, Ribatejo, aos estudos na escola industrial de Lisboa, de onde sairá serralheiro mecânico. Relembra o convívio com o avô camponês, homem sábio e analfabeto, com quem aprendeu a cuidar dos porcos e observar a via Láctea. Fala da mudança para Lisboa, onde o pai vai trabalhar como guarda da segurança pública, e a família provinciana passará a morar em quartinhos de bairros populares, sempre no último andar, de aluguel mais barato. Em Lisboa, o menino tímido torna-se um adolescente contemplativo, que não perde os filmes do cine Piolho, na Mouraria. É bom aluno mas interrompe cedo os estudos, devido a dificuldades financeiras da família. Saramago permaneceu muito ligado ao menino que foi, e surpreendeu-se com a profusão de lembranças que guardava da infância e adolescência.

Topo

2 respostas a As Pequenas Memórias

  1. Ana Correia, 12.ºC diz:

    Quem lê o “Memorial do Convento” não imagina Saramago a escrever de modo simples, com linguagem corrente e acessível. Mas o que é facto é que isso acontece nesta obra.
    Trata-se de uma história de vida muito bem contada. A descrição de personagens, ambientes ou atmosferas sugere a exortação feita na contracapa, levando o leitor à lembrança da criança que foi. Simultaneamente, este vai-se apercebendo da evolução do autor enquanto ser, presenciando as suas vivências. Todos estes factores conjugados permitem prender o leitor da primeira à última página, sempre com um entusiasmo evidente.

    «As Pequenas Memórias» é um livro que se mostra intenso, forte, repleto de emoções e que deixa a sua marca na memória e na vida do leitor, assim como as vivências de infância a deixaram em Saramago. Por tudo isto, dificilmente será esquecido. Adorei o livro e recomendo-o vivamente.

  2. Liliana Roriz, 12º C diz:

    Quando comecei a ler este livro, fiquei extremamente surpreendida com a simplicidade com que foi escrito. Neste livro, José Saramago conta excertos da vida dele que fazem com que o leitor se sinta motivado a ler o livro até ao fim e saber mais acerca da sua vida. Isto, porque o autor mostra saudade de algumas passagens e esse sentimento é-nos transmitido de uma forma tão agradável que não somos capazes de pôr a obra de lado.
    Assim, recomendo vivamente este livro a todos aqueles que não conhecem o escritor, na medida em que se sentirão motivados a ler as suas obras, e também àqueles que já leram a maioria das suas obras, pois entenderão melhor determinadas passagens e ficarão mais a par das vivências de José Saramago e do que o levou a escrever determinados factos em alguns dos seus livros…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: