A Relíquia

A Relñuia 

Consulta na biblioteca o livro: Análise da Obra «A Relíquia»

Análise da Obra «A Relñuia»

Resolve um questionário interactivo sobre a obra. Aqui.

Lê algumas opiniões sobre a obra:

Leitor 1:

Este é o meu livro preferido de Eça de Queirós, embora não desdenhe os mais clássicos, como “Os Maias” ou “O Primo Basílio”. No entanto, este tem um certo requinte irónico, mesmo hilariante que os outros dois não possuem.

É a história de um jovem que vive com a sua tia, em Lisboa, senhora idosa e extremamente devota. Este jovem, debochado, apenas quer andar na borga, e ter dinheiro para todos os seus vícios, desde beber a estar com as suas amantes. Mas, para que a tia não suspeite de nada, antes de ir para casa, passa sempre pela igreja para cheirar a incenso, e diz à tia que foi rezar pela alma dela… Quem não gostaria de ter um sobrinho assim?…

O nosso personagem planeia em seguida um cruzeiro pelo Egipto com a usa amante, e diz à tia que vai à Terra Santa buscar-lhe a maior relíquia que pode existir… a Coroa de Espinhos! A tia dá-lhe uma quantidade enorme de dinheiro, e lá parte o jovem com a sua amante. O problema, é que a amante, […]
Penso que o livro está muito bem escrito, e tem passagens muito divertidas e bastante irónicas. Adorei!

Leitor 2:

Para quem já teve a oportunidade de apreciar um romance do mestre Eça de Queirós, deve saber que uma das suas características era o de efectuar, e isso está presente em todos os seus romances, uma crítica social mordaz, irónica mas, no fundo, uma crítica que tentava ser construtiva.
[…] Eça de Queirós é, pois, o melhor escritor português de todos os tempos e, não tenho a melhor dúvida, um dos melhores a nível mundial. Se ele fosse norte-americano, francês, inglês ou alemão, penso que seria considerado o grande mestre da literatura universal.

Senhor de um estilo único, enquanto narrador conseguiu “pintar” cenários reais da sociedade portuguesa, efectuando também descrições e análises psicológicas dos seus personagens de uma forma intensa.

Embora este não seja o romance que mais aprecio do mestre, penso que a “Relíquia” é aquele onde ele consegue, de facto, expressar todo o seu génio, para além das sublimes descrições que efectua do Egipto (onde esteve para a inauguração do canal do Suez) e Palestina, ele consegue descrever de uma forma minuciosa os costumes da época, os hábitos da sociedade, o modo de pensar e o latente conflito de gerações que se dava na altura.

Leiam Eça. É português, escreve sobre Portugal e as suas gentes, a nossa gente e é, talvez, o melhor escritor de todos os tempos.

in http://pt.livra.com/topic.asp?To=42891

Topo

Uma resposta a A Relíquia

  1. Liliana Roriz, 12º C diz:

    Pessoalmente, após ter lido “Os Maias”, nunca pensei voltar a ler uma obra de Eça de Queirós. No entanto, estou feliz por tê-lo feito, pois “A Relíquia” mostrou ser um livro com uma enorme qualidade e que permite ao leitor, tanto tirar uma lição de vida, como obter novos conhecimentos relacionados com religião e locais antes totalmente desconhecidos.
    É, acima de tudo, uma crítica à religião, às diferentes formas como um único acontecimento (neste caso, a morte de Cristo) é interpretado e à inflexibilidade mostrada por parte de certos fiéis no que diz respeito a seguir a sua religião.
    Por tudo isto, é uma obra que recomendo a todos os leitores, assíduos ou não, das obras de Eça de Queirós.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: